quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Prevenção em forma de alimentos


É a sabedoria popular que o apregoa e a ciência que o confirma: somos o que comemos. O que significa que comer de forma saudável, que é o mote do Dia Mundial da Alimentação, assinalado esta quarta-feira, é meio caminho andado para uma vida que se quer também ela mais saudável. E a anemia é disso um bom exemplo. Embora possam ser vários os fatores que lhe podem dar origem, o principal é a deficiência de ferro e é através de uma alimentação saudável e equilibrada que se consegue ter o aporte de ferro necessário para prevenir aquele que é um problema de saúde pública a nível mundial.
No menu rico em ferro contam-se vários alimentos, que vão da carne vermelha, fígado, carnes brancas, alguns vegetais de folha verde, feijões, a vários outros. No entanto, nem sempre a ingestão de alimentos ricos em ferro é suficiente para prevenir a anemia. Isto porque há fases da vida que exigem uma maior necessidade deste nutriente, como é o caso da gravidez, cuja prevalência, em Portugal, segundo os dados do estudo EMPIRE, ultrapassa os 50%.
Mas há outros, como a fase de aleitamento, e os períodos de crescimento na infância e adolescência. Outra situação é a que decorre da associação de alimentos capazes de interferir com a absorção do ferro, como é o caso do leite (o cálcio pode inibir a absorção de ferro de origem tanto animal como vegetal) ou do café (a cafeína produz o mesmo efeito).

Tratamento fora do prato
Nestas contas da anemia e da deficiência de ferro existem então diferentes variáveis. A alimentação continua a estar em destaque quando se fala nos vegetarianos e vegans, uma população também em risco de deficiência de ferro e, consequentemente, de anemia. Isto porque, apesar de, na sua dieta, o conceito de alimentação saudável estar presente, o equilibrado nem sempre está - até porque o ferro de origem vegetal, conhecido como ferro não-heme, não é absorvido da mesma forma que o ferro de origem animal. 
Mas se é certo que a prevenção da anemia por deficiência de ferro se pode encontrar no prato, o mesmo já não acontece com o seu tratamento. Depois de instalada, cabe ao médico a recomendação do melhor tratamento, que geralmente passa pela administração de medicamentos para corrigir os níveis de ferro no organismo, por forma a colmatar a carência existente. Por isso, na presença de sintomas, o melhor mesmo é, sempre, consultar um especialista.