terça-feira, 18 de junho de 2019

Os números da Anemia


É o cansaço, uma sensação de fadiga que, resultado de um dia a dia exigente e de uma vida em contrarrelógio, se tende a minimizar. É a falta de concentração, uma irritação quase constante, a memória que não é a mesma. Os sintomas repetem-se, sinal de que nem tudo está bem. A responsável é, muitas vezes, a anemia, um problema que resulta da diminuição de glóbulos vermelhos no sangue e que, de acordo com as estimativas da Organização Nacional da Saúde, afetaria 15% da população portuguesa. Uma estimativa aquém da realidade, como confirmou o único estudo nacional que quis saber quantos portugueses vivem, de facto, com anemia. 

Chamou-se EMPIRE, foi realizado pelo Anemia Working Group Portugal (AWGP) e avaliou 8.195 indivíduos, concluindo que, por cá, 21%, ou seja, um em cada cinco, são afetados por anemia em algum momento da sua vida. Mais ainda, esclareceu que 84% dos afetados não tinham conhecimento de ter a patologia e apenas 2% estavam a receber tratamento médico no momento do inquérito.
Entre homens e mulheres há diferenças. São, de facto, as mulheres quem mais sofre com este problema que, na grande maioria das vezes, se deve à deficiência de ferro, transformando-se posteriormente em anemia. 


Porque a anemia tem rosto e este pode ser o de cada um de nós, partilhe a sua história ou testemunho sobre este problema de saúde, que não precisa de ser uma inevitabilidade. 
Escreva para orostodaanemia@gmail.com