terça-feira, 25 de junho de 2019

Ter uma saúde de Ferro


É um nutriente essencial para o organismo, para a saúde física e mental e para manter os níveis de energia adequados às atividades diárias. E é por isso que, quando falta, o organismo dá sinal, através de sintomas que podem confundir quem os sente, mas que se agravam se nada for feito. Falamos do ferro, cuja deficiência é a principal responsável pela anemia e que tem um impacto significativo na saúde, aumentando o risco de morbilidade e mortalidade por agravamento de doenças subjacentes. 
Mas o que provoca afinal a deficiência de ferro, conhecida como ferropénia? 

A fadiga é presença de quem tem falta de ferro no organismo, uma falta de energia e exaustão que é constante. A concentração começa a faltar, afetando a memória a curto prazo, que deixa de ser o que era, causando ainda irritação, também ela constante.
Vontade de comer terra, argila ou amido são desejos estranhos, mas frequentes para aqueles que têm deficiência de ferro, aos quais se junta uma vontade irresistível de comer ou mastigar gelo.
As pernas tornam-se inquietas, sendo aqui constante o desconforto sentido, que se faz sentir ainda a outro nível, o do frio. Este torna-se o pior inimigo, fazendo com que aqueles afetados pela ferropénia sejam intolerantes e com dificuldade em regular a temperatura corporal.
O cabelo começa a cair com mais frequência do que o normal, as unhas tornam-se fracas e quebradiças e instala-se a palidez, resultado de uma redução da hemoglobina no sangue. 
No corpo, as nódoas negras surgem com mais frequência e, na boca, multiplicam-se as aftas. A respiração é também afetada, com a deficiência de ferro a roubar o fôlego até para as coisas mais simples, como subir um lance de escadas. As infeções, como constipações, tornam-se recorrentes, assim como as dores de cabeça e a perda auditiva, que surge de forma súbita.


Porque a anemia tem rosto e este pode ser o de cada um de nós, partilhe a sua história ou testemunho sobre este problema de saúde, que não precisa de ser uma inevitabilidade. 
Escreva para orostodaanemia@gmail.com

terça-feira, 18 de junho de 2019

Os números da Anemia


É o cansaço, uma sensação de fadiga que, resultado de um dia a dia exigente e de uma vida em contrarrelógio, se tende a minimizar. É a falta de concentração, uma irritação quase constante, a memória que não é a mesma. Os sintomas repetem-se, sinal de que nem tudo está bem. A responsável é, muitas vezes, a anemia, um problema que resulta da diminuição de glóbulos vermelhos no sangue e que, de acordo com as estimativas da Organização Nacional da Saúde, afetaria 15% da população portuguesa. Uma estimativa aquém da realidade, como confirmou o único estudo nacional que quis saber quantos portugueses vivem, de facto, com anemia. 

Chamou-se EMPIRE, foi realizado pelo Anemia Working Group Portugal (AWGP) e avaliou 8.195 indivíduos, concluindo que, por cá, 21%, ou seja, um em cada cinco, são afetados por anemia em algum momento da sua vida. Mais ainda, esclareceu que 84% dos afetados não tinham conhecimento de ter a patologia e apenas 2% estavam a receber tratamento médico no momento do inquérito.
Entre homens e mulheres há diferenças. São, de facto, as mulheres quem mais sofre com este problema que, na grande maioria das vezes, se deve à deficiência de ferro, transformando-se posteriormente em anemia. 


Porque a anemia tem rosto e este pode ser o de cada um de nós, partilhe a sua história ou testemunho sobre este problema de saúde, que não precisa de ser uma inevitabilidade. 
Escreva para orostodaanemia@gmail.com

terça-feira, 11 de junho de 2019

O Rosto da Anemia: um blog que quer dar que falar


O que é a anemia, quais os seus sintomas, como pode ser prevenida e tratada, quais as implicações na vida de quem dela sofre, de que forma está associada a uma deficiência de ferro… Estas são algumas das questões que vão estar em destaque neste blog, que pretende ser um ponto de encontro para quem tem dúvidas sobre o tema, quer saber mais ou simplesmente deseja partilhar como é viver com anemia, já considerada um problema de saúde pública.


O EMPIRE, o estudo que traça o cenário da prevalência da anemia e da deficiência de ferro na população portuguesa, confirma que um em cada cinco portugueses adultos são afetados por anemia em algum momento da sua vida. E mostra ainda que, apesar de ser um problema debilitante, a maioria (84%) dos afetados não sabe que a tem. Números que tornam clara a importância da informação e da sensibilização. 


Porque a anemia tem rosto e este pode ser o de cada um de nós, partilhe a sua história ou testemunho sobre este problema de saúde, que não precisa de ser uma inevitabilidade. 
Escreva para orostodaanemia@gmail.com